(21) 3617-0129 | Whatsapp: (21) 9 9186-5992

Calma! Essa é uma situação que pode ser muito assustadora para algumas pessoas, mas, certamente, a primeira atitude a ser tomada após bater o carro é manter a calma e seguir alguns passos. É preciso entender que, infelizmente, os acidentes de trânsito fazem parte da rotina de muitos motoristas e, às vezes, não há o que fazer. Nem mesmo os motoristas mais cuidadosos estão livres de se envolverem em um acidente, por menor que sejam as proporções.

Mas, e depois que aconteceu um acidente, o que deve ser feito? Primeiramente, para manter a tranquilidade de todos os motoristas que trafegam com carro, é muito importante ter um seguro auto. Dessa forma, haverá proteções e coberturas contra os mais diversos acontecimentos, sejam batidas com perdas parciais, batidas com perdas totaisbatidas em terceiros e por aí vai.

Se você ainda não tem seguro, aproveite e faça uma cotação agora mesmo com a Oceano Seguros.

Se possível, tire o carro da via

Seguindo com o conteúdo e com as dicas do que deve ser feito após bater o carro, entender esse passo a passo vai deixar a situação menos desgastante. Confira

Às vezes, não será possível mover o carro, pois os danos da batida foram mais graves. Mas, se ninguém se feriu ou se os carros puderem se movimentar, estacione-os em locais seguros e que não obstruam o trânsito. Isso é importante para não causar outros acidentes com proporções ainda maiores. E, caso seja possível tirar o carro da via e isso não for feito, será considerada uma atitude passível de multa no valor de R$ 130,16, além de quatro pontos na CNH.

E se não for possível, é necessário entrar em contato diretamente com companhia de trânsito da cidade para solicitar um guincho. Agora, quem tem um seguro auto, pode ligar para a sua seguradora e solicitar o guincho. Esse contato com a seguradora é bem rápido e o mais eficiente possível, de modo que o carro não fique muito tempo na via, além de suporte ao segurado no contato.

Lembre-se, também, de sinalizar a área com o triângulo, um dos itens essenciais para ter no carro, e posicione-o a uma distância de, pelo menos, 30 metros. Assim você evita que possam haver novas colisões com o seu carro já batido. Mesmo se não for à noite, é obrigatório ligar o pisca-alerta para complementar a sinalização.

Acione a seguradora que faz a proteção do carro

Partindo do pressuposto que seguro é quase um item obrigatório em todos os carros, o próximo passo a ser dado é acionar a seguradora. A batida, caso tenha envolvido terceiros, precisa ser analisada entre os dois condutores para que ambos cheguem a um consenso de quem foi o culpado. Caso isso não seja possível, será necessário acionar a Polícia Civil ou um órgão de trânsito.

No entanto, é necessário, seja lá qual for a decisão, tirar fotos dos veículos e danos causados, do local e da posição exata dos carros no momento do acidente. Lembre-se, também, de colher os dados do outro condutor. Tudo isso são informações necessárias para serem encaminhadas à seguradora no momento de abertura de sinistro. Caso haja testemunhas no local, é recomendado que, se possível, os contatos delas sejam anotados para posteridades.

Registre todas as informações e faça um B.O (Boletim de Ocorrência)

No momento de acionar a seguradora para comunicar a batida, não é necessário fazer um B.O, mas é mais prudente e garante as informações de todas as pessoas que possam estar envolvidas no acidente. Algumas seguradoras exigem o B.O para o pagamento da indenização, por isso, fique atento às regras da sua seguradora. Quando há feridos, é obrigatório a realização do B.O.

O registro no Boletim de Ocorrência trará a versão do ocorrido para fins de preservação de direitos das duas partes. Esse documento também pode servir como uma proteção caso a outra parte registre um B.O. com versões diferentes do acidente.

Se no acidente não houve vítimas, é possível registrar o boletim em qualquer unidade da Polícia Militar ou pela internet. No momento do registro das informações, relate a cronologia do acidente, inclua os dados dos veículos, como modelo e placa, os dados dos motoristas, com nome e RG e, por fim, das testemunhas, caso tenha.

Em caso de vítimas, não se ausente, preste socorro

Se a batida foi mais séria e teve vítimas, chame o socorro médico para o atendimento dos feridos. Também lembre-se de acionar a polícia para realizar o registro da ocorrência e perícia no local. É importante sinalizar o lugar com um triângulo e pisca-alerta para evitar aglomerações e possíveis novos acidentes. Não movimente as vítimas, pois, um atendimento equivocado pode agravar as lesões.

Prestar socorro é obrigatório! Quem se omite, mais do que a penalização de acordo com o CTB (Código Brasileiro de Trânsito), de multa gravíssima e suspensão do direito de dirigir, é crime passível de detenção pelo Código Penal, assim como pelo Código de Trânsito.

Quem sofre com acidentes causados no trânsito pode –e deve – pedir a indenização do seguro DPVAT (Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre). Qualquer pessoa que seja vítima no trânsito tem direito a solicitar essa indenização.

Onde o carro será consertado?

Quem tem seguro e vê o seu veículo danificado, já quer saber qual é o local que será responsável por reparar os danos causados. Nesse momento, o segurado tem livre escolha para levar o carro onde quiser. Mas, existe a importância de escolher as oficinas referenciadas pelo fato delas serem avaliadas previamente pelas seguradoras e terem um controle de qualidade para realizar o conserto da melhor forma possível, dentro de um prazo justo. Os carros passarão por uma vistoria para que possa ser medido o tamanho dos danos causados ao carro.

As oficinas que são referenciadas também oferecem outros serviços, como revisão e liberação dos reparos com mais rapidez, sem mencionar o fato de que as seguradoras concedem benefícios quando o segurado escolhe a oficina referenciada para consertar o carro após a batida.

O que é necessário para realizar a vistoria após a batida do carro?

Para realizar a vistoria após a batida do carro, é necessário o número do sinistro que será passado pela seguradora, além de alguns documentos que podem variar de acordo com cada seguradora. O importante nesta etapa é manter a agilidade no envio para tornar o processo mais eficiente.

Documentos necessários em caso de perda parcial

Se a batida foi um caso de perda parcial, os documentos exigidos, em geral, são esses:

– Boletim de Ocorrência da Polícia Militar (quando necessário);

– Boletim de Ocorrência da Polícia Civil (se houver vítima);

– D.U.T. (Documento Único de Transferência);

– C.N.H. (Carteira Nacional de Habilitação).

Por ser uma batida com perda parcial, o motorista deverá pagar a franquia, a parte da contribuição para a reposição do que precisou ser arrumado. Ele pode fazer o pagamento da franquia na própria oficina.

Documentos necessários em caso de perda total

Geralmente são exigidos os seguintes documentos, caso o carro tenha passado por uma batida resultando em perda total.

– Boletim de Ocorrência da Polícia Militar;

– Boletim de Ocorrência da Polícia Civil (no caso de acidente com vítima, como: atropelamento);

– D.U.T. (Documento Único de Transferência);

– C.N.H. (Carteira Nacional de Habilitação);

– Comprovante de residência;

– CPF;

– RG;

– Para veículos alienados (financiamento, consórcio ou leasing): cópia da última parcela paga para a financeira.

Quando ocorre a PT (perda total), o segurado não precisa fazer o pagamento da franquia, apenas se houver parcelas do seguro em aberto, que precisarão então ser quitadas.

 

Precisando de Seguro para o seu veículo?

× Converse no Whatsapp